Enviar Email

Cidadão Quem

Display

Abril 9th, 2008 by Duca, under Diversos. 43 Comments

Desculpem a ausência mas a vida atropela a gente e quando a gente vê já passou um tempão!!! Estou fazendo vários projetos e vcs vão saber em breve. No momento estou a fim de dar um Display em tamanho natural da minha pessoa para alguém que escrever uma poesia bem bacana como comentário deste post. Tipo um concurso de poesias.  O Display é bem legal e foi confeccionado para o nosso show com o CPM22 no ano passado. O Display é legal mas como eu mal me aguento, imagina com outro eu olhando pra mim o tempo todo lá no estúdio… Well, aqui está a proposta, se alguém se interessar, escreva a poesia e publique como comentário deste texto. Pode demorar mas com certeza eu escolho uma poesia e dou o display.

Valeu!!

Duca L.

43 Comments

gravatar

Tiago  on Abril 10th, 2008

O Pulsar
Por longos meses
Tentei ir embora
E não mais voltar…
Tentei encontrar um rumo para minha vida
Tentei te encontrar em outras pessoas
Enxergar seus lindos olhos
Em um outro rosto
Mas todo esse tempo eu estava errado
Tive a coragem de amar sem amar
E até a audácia de dizer “eu te amo”
A outra pessoa que nao fosse a você
Por um breve momento tive a ilusão
De ter transcedido o meu amor por você
Mas que tolice a minha…
Pensar que pudesse te esquecer
Com um simples amor de verão
Algo que veio do nada e acabou em nada
Hoje percebo que me afastar de ti
Apenas me mostrou que você está
Mais perto do que pensava, por que?
Por que você está dentro de mim
Habitando eternamente no meu coração
Fazendo com que ele continue a pulsar
Continue sobrevivendo
Apenas para continuar batendo por você

gravatar

Tiago Filipe  on Abril 10th, 2008

O Pulsar
Por longos meses
Tentei ir embora
E não mais voltar…
Tentei encontrar um rumo para minha vida
Tentei te encontrar em outras pessoas
Enxergar seus lindos olhos
Em um outro rosto
Mas todo esse tempo eu estava errado
Tive a coragem de amar sem amar
E até a audácia de dizer “eu te amo”
A outra pessoa que nao fosse a você
Por um breve momento tive a ilusão
De ter transcedido o meu amor por você
Mas que tolice a minha…
Pensar que pudesse te esquecer
Com um simples amor de verão
Algo que veio do nada e acabou em nada
Hoje percebo que me afastar de ti
Apenas me mostrou que você está
Mais perto do que pensava, por que?
Por que você está dentro de mim
Habitando eternamente no meu coração
Fazendo com que ele continue a pulsar
Continue sobrevivendo
Apenas para continuar batendo por você

gravatar

Trovador Templário  on Abril 10th, 2008

Quero uma poesia somente minha.
Quero uma poesia somente minha.
Escrita das mais belas palavras.
Para formarem as mais belas frases.
Que alterem os sentidos.
Quero uma poesia só para mim.
Que fale das coisas que sinto.
E das que não sinto também.
Que seja escrita no silêncio.
Ou ao som de uma canção.
Que seja escrita na leve brisa da manhã.
Que as letras borrem suavemente com o orvalho.
Ou ainda movidas pelas ondas do mar.
Mas que termine ao entardecer.
Quero uma poesia só para mim.
Que fale ao coração.
Que me faça sorrir.
Que me faça chorar.
Que as lágrimas que caírem do meu rosto,
Levem junto todas as mágoas.
Quero uma poesia só para mim.
Que seja suave.
Que me faça sonhar hoje.
Que me faça acreditar no amanhã.
Que me faça sentir para sempre.
Quero uma poesia só pra mim.
Com vírgulas, exclamações!
Sem ponto final
Uma poesia que me traga respostas.
Mas outras dúvidas.
Quero uma poesia só para mim.
Que fale das coisas que eu senti.
Dos amores que já vivi.
Que possua rimas.
E não faça sentido algum.
Somente para mim.
Pois quero uma poesia,
somente minha.
Escrito por Trovador Templário

gravatar

Tiago Tomaszewski  on Abril 10th, 2008

O Pulsar
Por longos meses
Tentei ir embora
E não mais voltar…
Tentei encontrar um rumo para minha vida
Tentei te encontrar em outras pessoas
Enxergar seus lindos olhos
Em um outro rosto
Mas todo esse tempo eu estava errado
Tive a coragem de amar sem amar
E até a audácia de dizer “eu te amo”
A outra pessoa que nao fosse a você
Por um breve momento tive a ilusão
De ter transcedido o meu amor por você
Mas que tolice a minha…
Pensar que pudesse te esquecer
Com um simples amor de verão
Algo que veio do nada e acabou em nada
Hoje percebo que me afastar de ti
Apenas me mostrou que você está
Mais perto do que pensava, por que?
Por que você está dentro de mim
Habitando eternamente no meu coração
Fazendo com que ele continue a pulsar
Continue sobrevivendo
Apenas para continuar batendo por você
Esse poema eu compus, quando realmente descobri o amor da minha vida, aquela menina que me fazia sorrir, mesmo chorando, e nesse instante, vi que jamais tinha amado alguem dessa forma, infelizmente, esse amor transcedeu o simples termo amor…
abração

gravatar

Taís  on Abril 10th, 2008

Tema livre?

gravatar

Carol  on Abril 10th, 2008

Antes de mais nada, Parabéns atrasado!!Tudo de bom.
Não sei se vou concorrer, não sou muito boa com poesias hehe.
Beijos pra todos,
Carol

gravatar

Helen Mezoni  on Abril 10th, 2008

Vento:
E da escuridão de uma casa assombrada pelos fantasmas de um passado por vezes inacabado, surge uma luz trazida pelo vento vindo de um lugar qualquer, fazendo-se ver o tempo passado, e com ele o que não foi vivido, mostrando que o que parecia perdido na verdade estava guardado em uma caixa trancada à sete medos.
Luz que reluz em pedra bruta, lapidada pelo tempo, pelo vento…
Vento.
Que sopra forte, que acaricia o corpo, penetra os poros e invade instancias esquecidas.
Que inesperadamente embaralha o que parecia certo, trazendo o som suave da tarde que lá fora se põe.
Que como em prece se pede que jamais cesse…
… Mas é vento: tudo derruba e transforma, e passa deixando apenas um rastro de lembrança na casa vazia.
Helen Mezoni.
08/08/2006.

gravatar

Lêda Bertamoni  on Abril 10th, 2008

Olá,

Pensei muito em roubar o display no dia do show, mas certamente iria pegar mal…
Fui intimada a participar, portanto…

Alma Gêmea

TEU OLHAR É ALGO
PROFUNDO, ÍNTIMO,
ACONCHEGANTE…
TE PROCURO EM TODA PARTE
EM TODO LADO
A CADA INSTANTE…

NÃO TE ENCONTRO,
ENTÃO DEPRIMO,
FICO TRISTE,
PERCO O RUMO!

QUERO MAIS QUE TUDO
BUSCAR CAMINHOS,
BUSCAR DESTINOS!
ENCONTRAR CERTEZAS,
SEM SUTILEZAS,
RETOMAR O TINO…

Valeu!

gravatar

Bruna Heller  on Abril 10th, 2008

“Podemos não ser IGUAIS,
Mas no BALANÇO das tuas canções me sinto mais próxima…
Em cada acorde, O SEU ENIGMA!

POR VOCÊ, sigo apenas UMA DIREÇÃO,
Na qual a minha BÚSSOLA me leva para uma LENTE AZUL,
Onde as pessoas vivem em um DIA ESPECIAL,
Respirando AR e vivendo como PUROS!

Busco minha ENCOMENDA através desse poema
Encomenda tal nomeada de VÍCIO!

“Pra lembrar quem eu sou” e numa BOSSA me perder,
Registro tudo no meu ÁLBUM DE PAPEL,
Enquanto pensamentos ficam soltos e,
AO FIM DE TUDO, acabo em uma CARONA de belas melodias e canções!

Aguardo de ti, FILMES QUE NÃO VI, músicas EMBALADAS,
Para usá-las como trilha sonora de uma bela história…
História que me trouxe amigos que hoje estão PERTO DEMAIS,
Proporcionou momentos
Que, nem que eu tivesse tantas VIDAS como MARIA voltaria atrás…

Agora vou dizendo TCHAU,
Apenas contando OS SEGUNDOS,
Para esperar, num AMANHÃ COLORIDO,
A resposta que UM DIA há de chegar…”

- Vício -

Moro longe, mas não me encomodo em buscar! hehehe…
Beijão! E valeu a iniciativa…

gravatar

Igor  on Abril 11th, 2008

Conheci a banda há pouco tempo, e sinto um quê de titãs nela. Mas sinto que é uma música bem mais séria e menos pop. Estou ouvindo toda a playlist, e por enquanto estou satisfeito. Parabéns.

gravatar

Cristiano Lopes  on Abril 11th, 2008

Duca! Grande camarada…
Assim, vou passar um conto que escrevi, para um momento especial. Não sei se vale o Display, mas queria compartilhar ele, nada melhor que fazer isso com vcs..
O Reencontro…
Ele tentava fugir, se escondia, tentava não encontrar de novo aquele olhar…
Ela queria um abraço, saber se ele estava bem, se havia passado a dor…
Então o reencontro, ela temia em subir as escadas, ele aguardava ansiosamente de um lado pro outro da sala…
Então ela chegou… veio lentamente, ele parou, um silêncio, e um abraço… um longo abraço.
Os corações batiam descompassados. O que dizer? Não havia mais assuntos pendentes. Ele se sentia estranho, ela também.
Depois de algum tempo ele não suportou… prendeu seus olhos, seus pensamentos e a beijou… Ela deixou…ali ficaram entre os aromas do jantar que estava sendo preparado.
Depois do jantar, ele sabia que não queria que ela fosse, ela sabia que não podia ficar. Ficou!
Amaram-se, como na primeira vez. Não prometeram futuro, não relembraram o passado, apenas amaram-se…
Na manhã seguinte ela foi… ele desceu as escadas com ela…disse até logo… e voltou…
O cheiro ainda estava lá.
O cheiro do reencontro… e do strogonoff que ele cozinhou pra ela.

gravatar

Camila Bertamoni  on Abril 13th, 2008

meu remédio, meu vício
Pensei em desistir
Jogar tudo para o alto e te esquecer
Acreditei por um instante que seria fácil
Como tudo que havia acontecido na minha vida até hoje
Mas não foi
Naquele dia em que te vi com outra
Meu mundo caiu
A certeza de uma felicidade
Que não existiria mais
O medo da solidão e do desprezo
A clareza que esse amor nunca existiu
Nesse momento tristezas caem sobre minha cabeça
Não consigo levantar
Não consigo reagir a nada
Preciso do meu remédio
Da minha cura
A única saída para eu tentar sair desse mundo que estou presa
Esse mundo que só que afoga cada dia mais
Que me puxa, cada vez que tento sair de lá
Onde encontro meu remédio?
Preciso logo encontrar…
Ele nunca está no mesmo lugar
Um dia está por aqui, no outro está por lá
Esse remédio se tornou um vício
Quando fico muito tempo sem tê-lo,
as tristezas voltam a aparecer
Encontrei…
Estava em uma cidade próxima
Onde me mostrava lembranças vagas de um dia feliz
Fazendo assim, com que me anestesiasse por alguns instantes
agora vocês se perguntam
qual será esse remédio?
viciante?
Com certeza…
viciante para seguir uma vida feliz
para ter para sempre consigo aquela sensação de anestesia
meu remédio, meu vício…
Talvez quase uma salvação..
Só eu e você…
Juntos em uma só canção…
Valeu Duca!
Beijão
;@
Cah

gravatar

Camila Bertamoni  on Abril 13th, 2008

meu remédio, meu vício
Pensei em desistir
Jogar tudo para o alto e te esquecer
Acreditei por um instante que seria fácil
Como tudo que havia acontecido na minha vida até hoje
Mas não foi
Naquele dia em que te vi com outra
Meu mundo caiu
A certeza de uma felicidade
Que não existiria mais
O medo da solidão e do desprezo
A clareza que esse amor nunca existiu
Nesse momento tristezas caem sobre minha cabeça
Não consigo levantar
Não consigo reagir a nada
Preciso do meu remédio
Da minha cura
A única saída para eu tentar sair desse mundo que estou presa
Esse mundo que só que afoga cada dia mais
Que me puxa, cada vez que tento sair de lá
Onde encontro meu remédio?
Preciso logo encontrar…
Ele nunca está no mesmo lugar
Um dia está por aqui, no outro está por lá
Esse remédio se tornou um vício
Quando fico muito tempo sem tê-lo,
as tristezas voltam a aparecer
Encontrei…
Estava em uma cidade próxima
Onde me mostrava lembranças vagas de um dia feliz
Fazendo assim, com que me anestesiasse por alguns instantes
agora vocês se perguntam
qual será esse remédio?
viciante?
Com certeza…
viciante para seguir uma vida feliz
para ter para sempre consigo aquela sensação de anestesia
meu remédio, meu vício…
Talvez quase uma salvação..
Só eu e você…
Juntos em uma só canção…
Valeu Duca!
beijãoo
;@@
Cah

gravatar

Júnior Puccinelli  on Abril 13th, 2008

…os dias correm por aí,
nos atropelam em formas de sentir,
ouvimos pouco, gritamos mais,
se alguém ouvir, já se faz paz,
e continuamos sem saber o que falar,
frases soltas, palavras cruzadas,
daí então…

…fim.

gravatar

Juliana Turchet  on Abril 13th, 2008

Quanto tempo já passou
desde que o inferno acabou.
Dias coloridos e noites mais claras.
Flores brotando uma variedade de mudas raras.
Ontem o mundo parecia querer acabar,
hoje ao contrário, quer mais e mais
não parar de girar.
Saudade, palavra triste.
Dona de momentos a sós,
fazendo sentir-se pior.
Deixando calado um coração
que insiste em ficar melhor.
Saudade do amor,
saudade com dor.
Saudade do amigo vencido pela morte,
levado antes da hora.
Saudade que não se consola.
Que dobra e se multiplica por dois.
Saudade do carinho e da atenção,
vontade de correr bem longe,
longe da escuridão.
Muito tempo passou desde que ele apagou.
Fechou seus olhos para nunca mais acordar,
sem perguntar,
quantos aqui ficariam a chorar.
Saudade bandida,
aos poucos vencida.
Não dá pra acreditar.
Aquela pessoa que você aprende a amar
de repente murchar.
A constante piora era prevista,
não pôde ser vencida.
Tudo foi parando de funcionar lentamente,
transformando nossas vidas em um calvário sem fim.
Ainda não acredito que seja real,
mesmo que todos digam que sim.
Saudade vai e vem.
Não passa um único dia sem que eu fique sem.
Sei que você está por perto,
com o peito e o coração sempre aberto,
cuidando para que tudo aqui embaixo fique certo.
Se a morte para sempre nos separou,
saiba que no meu coração
saudade pra sempre ficou…
**** Boa sorte a todos nós ****

gravatar

Ju  on Abril 15th, 2008

Protesto!
Minha poesia disse q tinha sido enviada e nao aparece no blog…

gravatar

Marcelo  on Abril 15th, 2008

A MENINA DO QUADRO
Entrei no quarto
Entrei no quadro pendurado
Vi a menina de olhar triste
Lacrimejando que existe
Banhada em tinta e cor
Eu, cheio de ritmo e dor
Escorridos na tela, longos cabelos
Suspensos, feito um espelho
Olhos gigantes matavam minha sede
Lágrimas distantes voltavam sem tocar a parede
Vagavam pela tela infinita
Eu, ainda na espera
Ela, em outra esfera
Menina do Quadro não dorme
Não mostra a mão, pintura enorme
Me vigia quando entro
Me procura quando saio
Sem mover os olhos, caio
Em profundo sono, quase um desmaio
Menina, vem à tona nos meus sonhos!
Eu, ainda embriagado do outono
Agora enxergo o verdadeiro tom dos teus olhos
Enquanto moras comigo, pra sempre
Eternamente.

gravatar

Camila Bertamoni  on Abril 15th, 2008

meu remédio, meu vício
Pensei em desistir
Jogar tudo para o alto e te esquecer
Acreditei por um instante que seria fácil
Como tudo que havia acontecido na minha vida até hoje
Mas não foi
Naquele dia em que te vi com outra
Meu mundo caiu
A certeza de uma felicidade
Que não existiria mais
O medo da solidão e do desprezo
A clareza que esse amor nunca existiu
Nesse momento tristezas caem sobre minha cabeça
Não consigo levantar
Não consigo reagir a nada
Preciso do meu remédio
Da minha cura
A única saída para eu tentar sair desse mundo que estou presa
Esse mundo que só que afoga cada dia mais
Que me puxa, cada vez que tento sair de lá
Onde encontro meu remédio?
Preciso logo encontrar…
Ele nunca está no mesmo lugar
Um dia está por aqui, no outro está por lá
Esse remédio se tornou um vício
Quando fico muito tempo sem tê-lo,
as tristezas voltam a aparecer
Encontrei…
Estava em uma cidade próxima
Onde me mostrava lembranças vagas de um dia feliz
Fazendo assim, com que me anestesiasse por alguns instantes
agora vocês se perguntam
qual será esse remédio?
viciante?
Com certeza…
viciante para seguir uma vida feliz
para ter para sempre consigo aquela sensação de anestesia
meu remédio, meu vício…
Talvez quase uma salvação..
Só eu e você…
Juntos em uma só canção…
Valeu Duca!
Beijão
;@
Cah

gravatar

Camila Fernandes Bertamoni  on Abril 15th, 2008

Meu remédio, meu vício
Pensei em desistir
Jogar tudo para o alto e te esquecer
Acreditei por um isntante que seria fácil
Como tudo que havia acontecido em minha vida até hoje
Mas não foi
Naquele dia em que te vi com outra
Meu mundo caiu
A certeza de uma felicidade
Que não existiria mais
O medo da solidão e do desprezo
A clareza que esse amor nunca existiu
Nesse momento tristezas caem sobre minha cabeça
Não consigo levantar
Não consigo reagir a nada
Preciso do meu remédio
Da minha cura
A única saída para eu tentar fugir desse mundo que estou presa
Esse mundo que só me afoga cada dia mais
Que me puxa, cada vez que tento sair de lá
Onde encontro meu remédio?
Preciso logo encontrar…
Ele nunca está no mesmo lugar
Um dia está por aqui, no outro está por lá
Esse remédio se tornou um vício
Quando fico muito tempo sem tê-lo, as tristezas voltam a aparecer
Encontrei…
Estava em uma cidade próxima
Onde me mostrava lembranças vagas de um dia feliz
Fazendo assim, com que me anestesiasse por alguns instantes
Agora vocês se perguntam
Qual será esse remédio?
Viciante?
Com certeza…
Viciante para seguir uma vida feliz
Para ter sempre consigo aquela sensação de anestesia
Meu remédio, meu vício
Talvez quase uma salvação
Sé eu e você
Juntos em uma só canção…
Valeu Duca! ;)
bjãoooo
Cah

gravatar

Lêda Bertamoni  on Abril 15th, 2008

Teste

gravatar

Camila Fernandes Bertamoni  on Abril 15th, 2008

Meu remédio, meu vício
Pensei em desistir
Jogar tudo para o alto e te esquecer
Acreditei por um instante que seria fácil
Como tudo que havia acontecido na minha vida até hoje
Mas não foi
Naquele dia em que te vi com outra
Meu mundo caiu
A certeza de uma felicidade
Que não existiria mais
O medo da solidão e do desprezo
A clareza que esse amor nunca existiu
Nesse momento tristezas caem sobre minha cabeça
Não consigo levantar
Não consigo reagir a nada
Preciso do meu remédio
Da minha cura
A única saída para eu tentar fugir desse mundo que estou presa
Esse mundo que só que afoga cada dia mais
Que me puxa, cada vez que tento sair de lá
Onde encontro meu remédio?
Preciso logo encontrar…
Ele nunca está no mesmo lugar
Um dia está por aqui, no outro está por lá
Esse remédio se tornou um vício
Quando fico muito tempo sem tê-lo,
as tristezas voltam a aparecer
Encontrei…
Estava em uma cidade próxima
Onde me mostrava lembranças vagas de um dia feliz
Fazendo assim, com que me anestesiasse por alguns instantes
agora vocês se perguntam
qual será esse remédio?
viciante?
Com certeza…
viciante para seguir uma vida feliz
para ter para sempre consigo aquela sensação de anestesia
meu remédio, meu vício…
Talvez quase uma salvação..
Só eu e você…
Juntos em uma só canção…

gravatar

Camila Bertamoni  on Abril 15th, 2008

Meu remédio, meu vício
Pensei em desistir
Jogar tudo para o alto e te esquecer
Acreditei por um instante que seria fácil
Como tudo que havia acontecido na minha vida até hoje
Mas não foi
Naquele dia em que te vi com outra
Meu mundo caiu
A certeza de uma felicidade
Que não existiria mais
O medo da solidão e do desprezo
A clareza que esse amor nunca existiu
Nesse momento tristezas caem sobre minha cabeça
Não consigo levantar
Não consigo reagir a nada
Preciso do meu remédio
Da minha cura
A única saída para eu tentar fugir desse mundo que estou presa
Esse mundo que só que afoga cada dia mais
Que me puxa, cada vez que tento sair de lá
Onde encontro meu remédio?
Preciso logo encontrar…
Ele nunca está no mesmo lugar
Um dia está por aqui, no outro está por lá
Esse remédio se tornou um vício
Quando fico muito tempo sem tê-lo,
as tristezas voltam a aparecer
Encontrei…
Estava em uma cidade próxima
Onde me mostrava lembranças vagas de um dia feliz
Fazendo assim, com que me anestesiasse por alguns instantes
agora vocês se perguntam
qual será esse remédio?
viciante?
Com certeza…
viciante para seguir uma vida feliz
para ter para sempre consigo aquela sensação de anestesia
meu remédio, meu vício…
Talvez quase uma salvação..
Só eu e você…
Juntos em uma só canção…

gravatar

Cah Bertamoni  on Abril 15th, 2008

Meu remédio, meu vício
Pensei em desistir
Jogar tudo para o alto e te esquecer
Acreditei por um instante que seria fácil
Como tudo que havia acontecido na minha vida até hoje
Mas não foi
Naquele dia em que te vi com outra
Meu mundo caiu
A certeza de uma felicidade
Que não existiria mais
O medo da solidão e do desprezo
A clareza que esse amor nunca existiu
Nesse momento tristezas caem sobre minha cabeça
Não consigo levantar
Não consigo reagir a nada
Preciso do meu remédio
Da minha cura
A única saída para eu tentar fugir desse mundo que estou presa
Esse mundo que só que afoga cada dia mais
Que me puxa, cada vez que tento sair de lá
Onde encontro meu remédio?
Preciso logo encontrar…
Ele nunca está no mesmo lugar
Um dia está por aqui, no outro está por lá
Esse remédio se tornou um vício
Quando fico muito tempo sem tê-lo,
as tristezas voltam a aparecer
Encontrei…
Estava em uma cidade próxima
Onde me mostrava lembranças vagas de um dia feliz
Fazendo assim, com que me anestesiasse por alguns instantes
agora vocês se perguntam
qual será esse remédio?
viciante?
Com certeza…
viciante para seguir uma vida feliz
para ter para sempre consigo aquela sensação de anestesia
meu remédio, meu vício…
Talvez quase uma salvação..
Só eu e você…
Juntos em uma só canção…
Valeu Duca

gravatar

Camila Bertamoni  on Abril 15th, 2008

Meu remédio, meu vício
Pensei em desistir
Jogar tudo para o alto e te esquecer
Acreditei por um instante que seria fácil
Como tudo que havia acontecido na minha vida até hoje
Mas não foi
Naquele dia em que te vi com outra
Meu mundo caiu
A certeza de uma felicidade
Que não existiria mais
O medo da solidão e do desprezo
A clareza que esse amor nunca existiu
Nesse momento tristezas caem sobre minha cabeça
Não consigo levantar
Não consigo reagir a nada
Preciso do meu remédio
Da minha cura
A única saída para eu tentar fugir desse mundo que estou presa
Esse mundo que só que afoga cada dia mais
Que me puxa, cada vez que tento sair de lá
Onde encontro meu remédio?
Preciso logo encontrar…
Ele nunca está no mesmo lugar
Um dia está por aqui, no outro está por lá
Esse remédio se tornou um vício
Quando fico muito tempo sem tê-lo,
as tristezas voltam a aparecer
Encontrei…
Estava em uma cidade próxima
Onde me mostrava lembranças vagas de um dia feliz
Fazendo assim, com que me anestesiasse por alguns instantes
agora vocês se perguntam
qual será esse remédio?
viciante?
Com certeza…
viciante para seguir uma vida feliz
para ter para sempre consigo aquela sensação de anestesia
meu remédio, meu vício…
Talvez quase uma salvação..
Só eu e você…
Juntos em uma só canção…
Valeu Duca

gravatar

Camila Bertamoni  on Abril 15th, 2008

Não consigo postar minha poesia!

gravatar

Genildo Cerqueira  on Abril 15th, 2008

Do que eu preciso!
Eu sinto vontade
De sentir a verdade
De ver a paisagem
De seguir viagem
Mas a realidade
Que é de passagem
Mais a tua bobagem
É nossa simplicidade
Te espero na esquina
Pra ter teu sorriso
Tua simplicidade de menina
Pois de ti eu preciso
Eu sinto a viagem
De ver a verdade
De seguir à vontade
De sentir a paisagem
E a tua simplicidade
Mais a minha bobagem
É nossa passagem
É a nossa realidade
====================
saiu meio assim… mas espero que gostem!
gostei da atitude!

gravatar

Genildo Cerqueira  on Abril 15th, 2008

Do que eu preciso!
Eu sinto vontade
De sentir a verdade
De ver a paisagem
De seguir viagem
Mas a realidade
Que é de passagem
Mais a tua bobagem
É nossa simplicidade
Te espero na esquina
Pra ter teu sorriso
Tua simplicidade de menina
Pois de ti eu preciso
Eu sinto a viagem
De ver a verdade
De seguir à vontade
De sentir a paisagem
E a tua simplicidade
Mais a minha bobagem
É nossa passagem
É a nossa realidade
=========================
Gostei da atitude Duca!
Espero que goste do meu poema…
Estava pensando em colocar uma melodia nele!

gravatar

Camila Bertamoni  on Abril 15th, 2008

meu remédio, meu vício
Pensei em desistir
Jogar tudo para o alto e te esquecer
Acreditei por um instante que seria fácil
Como tudo que havia acontecido na minha vida até hoje
Mas não foi
Naquele dia em que te vi com outra
Meu mundo caiu
A certeza de uma felicidade
Que não existiria mais
O medo da solidão e do desprezo
A clareza que esse amor nunca existiu
Nesse momento tristezas caem sobre minha cabeça
Não consigo levantar
Não consigo reagir a nada
Preciso do meu remédio
Da minha cura
A única saída para eu tentar sair desse mundo que estou presa
Esse mundo que só que afoga cada dia mais
Que me puxa, cada vez que tento sair de lá
Onde encontro meu remédio?
Preciso logo encontrar…
Ele nunca está no mesmo lugar
Um dia está por aqui, no outro está por lá
Esse remédio se tornou um vício
Quando fico muito tempo sem tê-lo,
as tristezas voltam a aparecer
Encontrei…
Estava em uma cidade próxima
Onde me mostrava lembranças vagas de um dia feliz
Fazendo assim, com que me anestesiasse por alguns instantes
agora vocês se perguntam
qual será esse remédio?
viciante?
Com certeza…
viciante para seguir uma vida feliz
para ter para sempre consigo aquela sensação de anestesia
meu remédio, meu vício…
Talvez quase uma salvação..
Só eu e você…
Juntos em uma só canção…
Valeu Duca!
beijãoo
;@@
Cah

gravatar

Gustavo Burgel  on Abril 15th, 2008

Lembro do céu azul,
Aquele cheiro de inverno,
Um mundo pequeno,
Suaves venenos,
Maior que o mundo é aquela grama,
A qual sem nada fazer a primavera vem,
E vem sem nada dela fazer…

gravatar

Juliana Francisco  on Abril 16th, 2008

Quantas vezes!
Por várias vezes me pego pensando em você!
Pensamentos infinitos, cheios de graça, puros!
Porem, guardo comigo uma baita tristeza! A de não ter mais sua presença. Te amo mais que tudo, sinto um doce amargo vazio. Queria poder te levar, para um lugar qualquer… só queria estar contigo novamente e, ao teu lado, sorrir e cantar. Nos tornarmos Inseparáveis…para sempre. Quantas vezes relembrei do teu rosto no meu, tua mão encostando na minha, teus conselhos e confissões! Amo-te como nunca amei ninguém, serei sempre fiel a ti, embora os caminhos tomem rumos opostos, nunca te substituirei!
Somos uma só! você eu eu, eternamente!!!!
Duca!!!! Dediquei este poema a nós! Por, juntos com tantas outras pessoas, termos perdido alguém, que para sempre estará em nosso coração!!!!
Esta “dedicatória” é tudo o que consigo expressar, ao menos no dia de hoje…
Chove em Santa Catarina, talvez seja por isso…rs
Sucesso e Amor!
Beijos
Jú!!!

gravatar

lucas pp  on Abril 16th, 2008

nossa, muito legal o da bruna.

gravatar

Marina Brondani  on Abril 17th, 2008

Queria ver o sol nascer,os pássaros voando,a cor do lápis,pintando.As pessoas andando,o brilho dos olhos delas,a cor da lua,a cor da tela da tv.A cor do coração, símbolo do amor.A cor das folhas das árvores, das coisas, da vida, a cor da felicidade…
Queria poder ouvir as músicas da banda, queria poder escutar o locutor falando,as pessoas conversando,tu cantando,o toque do telefone,a batida da bateria,os acordes do violão,queria ouvir o palpite do meu coração…
Queria poder falar, cantar com você, sentir o dom da fala,o dom de se expressar, de questionar,de discutir, de contar segredos…
Queria poder me sentir amada, mas você não me amando, sinto que tudo ficou mudo,cego e surdo, nada faço, nada sinto, nada me faz feliz,e por esse motivo,parece que não existo, às vezes nem respiro.
única coisa que me faria voltar a viver, é tendo você ao meu lado …

gravatar

Camila Kern  on Abril 18th, 2008

Instinto Natural.
como num dia qualquer me foi apresentada,
simples, porém necessária,
que soube me conquistar como nenhum outro fez.
O encantamento das melodias e suas letras,
palavras acolhedoras e verdadeiras,
que juntas formam um só contexto,
que nesse belo desfexo,
me enxe de felicidade.
As palavras soam como música para os meus ouvidos,
mas claro, são músicas.
Gesto instantâneo de conforto,
Me apresentam um caminho de consolo,
De luz e de verdades.
Porém encontros e mais encontros me fizeram perceber,
que nada pode mudar o que sentimos e queremos,
e a união de sonhos nos revela o mundo mágico das canções
e o que se quer não é passar emoções,
mas mostrar o quanto é bom viver.
Quem entende o que ocorre?
Quem sabe a verdade?
Quem pode explicar tudo?
Músicas, baladas, pequenos versos…
Nada nem ninguém pode mudar.
Que jamais esquecida será,
Nem pelo homem sentado a beira do lago,
Nem pela criança com sua pipa.
Porque pela vida todos vão passar,
e o final não há de se prever.
O som que é de alguém,
simplesmente Cidadão Quem.
* Quis demonstrar o que sinto com as músicas, a diferença que a cidadão tem das outras bandas e a importância de valorizarmos sempre as coisas simples da vida :)
beijos!

gravatar

Viviane e Tiago  on Abril 20th, 2008

Oláaa…que saudades de vcs…Eu e meu marido morávamos em Pelotas/RS e sempre curtimos muito vcs. Viemos pra São Paulo e sentimos muita falta de não ver o som de vcs aqui….e nos perguntamos…..POR QUE O CIDADÃO QUEM NÃO TOCA AQUI? É UMA BANDA MARAVILHOSA QUE COM CERTEZA FARÁ MUITO SUCESSO AQUI!
AGUARDAMOS NOTÍCIA ANSIOSOS…
O SOM DE VCS FAZ PARTE DA NOSSA HISTÓRIA TAMBÉM…PRINCIPALMENTE AS MÚSICAS “OS SEGUNDOS” E “DIA ESPECIAL”
PARABÉS PELA QUALIDADE DAS MÚSICAS…FALTA ISTO AQUI EM SAMPA, EU SOU PAULISTA E MEU MARIDO GAÚCHO E PERCEBO ISTO CLARAMENTE.!!!

gravatar

Paula Biazus  on Abril 21st, 2008

[Bem curta...]

“O tempo é
uma mera desculpa
que os mortais usam para separar,
unir, ou esquecer…
Só esquecem
que só nos aproximamos fisicamente,
daqueles que já estavam unidos a nós,
pelas ALMAS!”

gravatar

Tiago Larre  on Abril 22nd, 2008

“Bom mesmo foram os tempos em que ouvia a Cidadão,
nos tempos do Cau e dos cabelos compridos ao vento.
Hoje fico por aqui, aguardando novidades, notícias boas,
mas pelo visto, me resta ouvir os cds velhos,
e rezar para que o som do baixo toque cada vez mais alto.”

gravatar

Gui  on Abril 25th, 2008

Bah, o da Bruna ficou muito massa mesmo!

gravatar

Maicon Rosa  on Maio 4th, 2008

Esta poesia se chama Mercado Saturado.
Seria uma canção,
que ficou melhor como poesia
É engraçada mas em formato de canção
fica mais ainda hheeh.
Poesia faz parte da minha vida!
a poesia esta abaixo não era essa hehehe
Não tenho vocação pra ser artista
Tão pouco ser dentista
Não cuido dos meus dentes
Como vou cuidar os de alguem
Me dizem que posso ser poeta
Nesse mercado, não falta oferta
Me chamam de cazuza
O cazuza da nova era
Dizem que vou ser o novo rei
Rei,rei,rei,rei,rei
É Roberto carlos
O homem do mercado
O mercado ta saturado
Não sei, nunca procurei trabalho
Cuido carro ao dia
E a noite gasto os meus trocados ..
Num show de quem ???
Do cidadão quem …..
Fui Maicon Rosa.

gravatar

Maicon Rosa  on Maio 4th, 2008

Por muitas vezes, eu ja tentei entender
Porque tudo passa tão rapido, sem ao menos, eu perceber
Cada segundo, tudo pode mudar
Cada minuto sua vida se transformar
Mais uma vez,esqueci ao acordar
De um sonho, em que eu fazia o tempo parar
O vento com o tempo, levando de mim
Tudo que planejei não pode acabar assim
Meu planos minha liberdade, não sera meu fim
Hoje quero viver, mais
Cada segundo tudo pode mudar
Cada minuto sua vida se transformar
O que fizemos no passado
Não podemos mudar
Mas o futuro,
Se ainda a chance temos sempre que tentar
A vida é assim, quando nós damos conta pode ser o fim
Saiba não a recomeço, então aproveite tudo
Enquanto ainda a tempo
De beijar de amar
De estar com quem você quer estar
Saiba que um dia
Este dia nunca vai voltar !
Maicon Rosa
Fuiii

gravatar

Camila Bertamoni  on Maio 5th, 2008

Duca… Parabéns pelo show de Pelotas sexta!
tava DUCARALHOOOO ;)
muito bom mesmo!
até mesmo com aquela fumaceira ¬¬’
beijãoo
Cah ;)
;@@

gravatar

Marcelo  on Maio 7th, 2008

A MENINA DO QUADRO

Entrei no quarto
Entrei no quadro pendurado
Vi a menina de olhar triste
Lacrimejando que existe
Banhada em tinta e cor
Eu, cheio de ritmo e dor
Escorridos na tela, longos cabelos
Suspensos, feito um espelho
Olhos gigantes matavam minha sede
Lágrimas distantes voltavam sem tocar a parede
Vagavam pela tela infinita
Eu, ainda na espera
Ela, em outra esfera
Menina do Quadro não dorme
Não mostra a mão, pintura enorme
Me vigia quando entro
Me procura quando saio
Sem mover os olhos, caio
Em profundo sono, quase um desmaio
Menina, vem à tona nos meus sonhos!
Eu, ainda embriagado do outono
Agora enxergo o verdadeiro tom dos teus olhos
Enquanto moras comigo, pra sempre
Eternamente.

gravatar

Marcelo  on Maio 7th, 2008

aí vai…

A MENINA DO QUADRO

Entrei no quarto
Entrei no quadro pendurado
Vi a menina de olhar triste
Lacrimejando que existe
Banhada em tinta e cor
Eu, cheio de ritmo e dor
Escorridos na tela, longos cabelos
Suspensos, feito um espelho
Olhos gigantes matavam minha sede
Lágrimas distantes voltavam sem tocar a parede
Vagavam pela tela infinita
Eu, ainda na espera
Ela, em outra esfera
Menina do Quadro não dorme
Não mostra a mão, pintura enorme
Me vigia quando entro
Me procura quando saio
Sem mover os olhos, caio
Em profundo sono, quase um desmaio
Menina, vem à tona nos meus sonhos!
Eu, ainda embriagado do outono
Agora enxergo o verdadeiro tom dos teus olhos
Enquanto moras comigo, pra sempre
Eternamente.

gravatar

Marcelo Sorrentino  on Maio 7th, 2008

A MENINA DO QUADRO

Entrei no quarto
Entrei no quadro pendurado
Vi a menina de olhar triste
Lacrimejando que existe
Banhada em tinta e cor
Eu, cheio de ritmo e dor
Escorridos na tela, longos cabelos
Suspensos, feito um espelho
Olhos gigantes matavam minha sede
Lágrimas distantes voltavam sem tocar a parede
Vagavam pela tela infinita
Eu, ainda na espera
Ela, em outra esfera
Menina do Quadro não dorme
Não mostra a mão, pintura enorme
Me vigia quando entro
Me procura quando saio
Sem mover os olhos, caio
Em profundo sono, quase um desmaio
Menina, vem à tona nos meus sonhos!
Eu, ainda embriagado do outono
Agora enxergo o verdadeiro tom dos teus olhos
Enquanto moras comigo, pra sempre
Eternamente.

Leave a Comment

Subscribe to comments on this post